Conecte-se Conosco

Saúde

Paraná começa a distribuir 525 mil doses de vacinas contra a Covid-19 e remédios para intubação

Estado recebeu novo lote na quinta-feira (1º) e faz a distribuição durante esta sexta-feira (2). Secretaria comprou medicamentos e recebeu itens do Ministério da Saúde.

Publicado

em

Foto: Jose Fernando Ogura/Sesa

O Paraná começa a distribuir aos municípios, nesta sexta-feira (2), 525 mil doses de vacinas contra a Covid-19, que foram recebidas na quinta-feira (1º). Além disso, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) também irá enviar remédios para intubação de pacientes.

Até agora, 1,1 milhão de pessoas foram vacinadas contra a Covid-19, no Paraná, sendo que 242 mil receberam as duas doses do imunizante.

De acordo com o governo do estado, a maior parte do novo lote será destinada para a aplicação da segunda dose, de reforço.

O estado irá enviar aos municípios 5,5 mil doses para a vacinação de idosos com 65 anos ou mais. Outras 2,2 mil unidades serão usadas para vacinar servidores das forças de segurança, como policiais.

A expectativa da Secretaria de Estado da Saúde é que os municípios consigam retomar a vacinação, a partir de domingo. Em algumas cidades, a aplicação foi suspensa por falta de doses.

Remédios
Segundo a Sesa, 108 mil medicamentos serão enviados para as 22 regionais de saúde junto com o novo lote de vacina. Os remédios fazem parte do chamado “kit intubação” e usados para tratar pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O governo informou que comprou a maior parte dos medicamentos e que recebeu 20 mil unidades do Ministério da Saúde.

Os remédios foram comprados de fornecedores estrangeiros, segundo a secretaria, por causa da alta demanda pelos kits, com a escalada da pandemia.

Um balanço publicado pela secretaria, na quinta-feira, apontou que o Paraná tem 2.214 pessoas internadas na UTI com suspeita ou diagnóstico da doença.

Entre os leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) para adultos, exclusivos Covid-19, a taxa de ocupação das UTIs está em 95%.

Fonte: https://g1.globo.com/pr

Comentários

Saúde

Vacinação contra a gripe começa nesta segunda; idosos não serão os primeiros a serem vacinados

Ministério da Saúde alterou ordem dos grupos prioritários a fim de evitar conflitos com o calendário de vacinação contra a Covid-19, que acontece paralelamente.

Publicado

em

Vacina contra a gripe começa nesta segunda (12). — Foto: Anselmo Cunha/PMPA

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, o vírus da gripe, começa nesta segunda-feira (12) e vai até 9 de julho. Excepcionalmente neste ano, idosos não serão os primeiros a serem imunizados para evitar conflito com o calendário de vacinação contra a Covid-19.

A vacinação contra a gripe será dividida em três grupos prioritários:

1ª etapa — de 12 de abril a 10 de maio:
crianças, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde;

2ª etapa — de 11 de maio a 8 de junho:
idosos e professores;

3ª etapa — de 9 de junho a 9 de julho:
demais grupos prioritários;

O governo federal recomenda que as pessoas que fazem parte do grupo prioritário tomem primeiro a vacina contra a Covid-19 e depois a vacina contra a gripe. A recomendação é que haja um intervalo mínimo de 15 dias entre a aplicação das duas vacinas.

Campanhas simultâneas
O Ministério da Saúde realiza todos os anos, a partir do começo do outono, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Neste ano, o Governo terá o desafio de coordenar a vacinação contra a gripe e ao Covid-19 ao mesmo tempo.

Para evitar aglomerações nos postos de saúde e cruzamento entre os públicos-alvo da vacina contra a gripe e contra o coronavírus, foram feitas adaptações na ordem dos grupos prioritários a serem vacinados.

A vacinação começa no dia 12 de abril e será dividida em três grupos prioritários, distribuídos de forma escalonada. Primeiro, serão vacinadas as crianças, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde. Em seguida, será a vez dos idosos e dos professores e, por último, os demais grupos.

O público-alvo é estimado em 79,7 milhões de brasileiros, e a meta do Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 90% dos grupos prioritários.

Excepcionalmente este ano, pessoas com mais de 60 anos não serão o primeiro grupo a ser imunizado contra a gripe para evitar conflito com o calendário de vacinação contra a Covid-19, que estará acontecendo paralelamente.

Caso a pessoa se enquadre dentro do grupo prioritário das duas vacinas, o Ministério da Saúde recomenda que seja tomado primeiro a vacina contra a Covid-19, e depois a vacina contra a gripe. É necessário dar um intervalo mínimo de 14 dias entre as duas vacinas porque ainda não se sabe os efeitos da coadministração simultânea dos dois imunizantes.

Grupos prioritários
A OMS (Organização Mundial da Saúde) definiu como grupos de elevada prioridade para a vacinação os profissionais da área da saúde e os idosos. Em seguida, sem ordem de prioridade, vêm as crianças de 6 meses a 5 anos, as gestantes e os portadores de determinadas doenças crônicas.

No Brasil, outros grupos também serão contemplados na campanha deste ano. Fazem parte do grupo prioritário, segundo o Ministério da Saúde:

.Crianças entre 6 meses e 6 anos de idade
.Gestantes e puérperas
.Povos indígenas
.Trabalhadores da saúde
.Idosos com 60 anos ou mais
.Professores das escolas públicas e privadas
.Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais
.Pessoas com deficiência permanente
.Forças de segurança e salvamento
.Forças Armadas
.Caminhoneiros
.Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso
.Trabalhadores portuários
.Funcionários do sistema prisional
.Adolescentes e jovens entre 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas
.População privada de liberdade

Fonte: https://g1.globo.com/bemestar

Comentários
Continue lendo

Saúde

Vacinação contra Covid-19 de profissionais da segurança pública começa nesta segunda em SP

Plano de vacinação também inclui os policiais federais que atuam no estado. Expectativa do governo é a de imunizar 180 mil profissionais da área.

Publicado

em

Fotos: Reprodução

O governo de São Paulo começa nesta segunda-feira (5) a vacinação contra a Covid-19 das equipes de segurança pública e administração penitenciária em todo o estado. A expectativa é a de vacinar 180 mil profissionais da área. Além de São Paulo, outros estados também iniciam nesta segunda a imunização de profissionais de segurança pública (leia mais abaixo).

O plano de vacinação inclui os policiais federais que atuam em São Paulo, policiais militares, civis, bombeiros, da Polícia Científica, agentes de segurança e de escolta penitenciária, e guardas civis metropolitanos municipais.

Para evitar aglomerações em postos de saúde, os profissionais serão vacinados nos próprios quarteis e batalhões.

Outros estados
A vacinação desses profissionais também foi iniciada nesta segunda (5) no Distrito Federal, em Porto Alegre, em São Luís e nas cidades de Macapá e Santana, no Amapá.

Entre as capitais, a imunização de trabalhadores da segurança pública já começou em Salvador, Goiânia, Manaus, Porto Velho e Campo Grande.

Além das capitais, a categoria começou a ser vacinada em cidades do Rio Grande do Sul, do Paraná e em Sobral, no Ceará. No Piauí, a imunização começou nesta segunda, com a vacinação de um militar na cidade de Corrente.

Vacinação de profissionais de segurança pública nos estados:

. Preveem começar hoje: AL, AP, DF, MA, PI e SP
. Já tinham começado: AM, BA, CE, GO, MS, PA, PR, RO e RS
. Ainda não começaram e não começam hoje: AC, ES, MG, MT, PB, PE, RJ, RN, RR, SC, SE e TO

Vacinação em SP
Na sexta-feira (2) teve início a vacinação de idosos de 68 anos e de trabalhadores do serviço funerário no estado de São Paulo.

Na próxima segunda-feira (12) será a vez dos 350 mil profissionais da educação com 47 anos ou mais, que atuam nas redes municipal, estadual e privada, com prioridade para os profissionais do Ensino Básico.

O governo de São Paulo lançou um site para cadastro obrigatório desses profissionais. Nesta etapa, o plano prevê a imunização de professores, inspetores, diretores de escola, faxineiros e merendeiras a partir de 47 anos.

Histórico da vacinação
A vacinação contra a Covid-19 começou no Brasil em 17 de janeiro, logo após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso emergencial da CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

A enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, moradora de Itaquera, na Zona Leste da capital paulista, foi a primeira pessoa, fora dos estudos clínicos, a receber a vacina.

O Programa Nacional de Imunização (PNI) brasileiro teve início no dia 18 de janeiro, e começou a ser feito após a distribuição das 6 milhões de doses da CoronaVac importadas já prontas da China.

No estado de São Paulo, a vacinação começou com profissionais de saúde da linha de frente no combate ao coronavírus, indígenas, quilombolas e idosos que viviam em instituições, e foi avançando conforme a chegada de vacinas.

Vacinômetro
De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, mais de 6,4 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 foram aplicadas no estado.

Dessas, cerca de 4,7 milhões correspondem a aplicações de primeira dose, e 1,6 milhão já com a segunda dose.

Fonte: https://g1.globo.com/sp/

Comentários
Continue lendo

Saúde

Londrina abre quatro novos pontos para aplicação da segunda dose a partir desta segunda

Os novos pontos são as unidades de saúde Alvorada, Casoni, Ernani e Eldorado. Objetivo é facilitar a imunização nos grupos prioritários.

Publicado

em

Foto: Vivian Honorato/Prefeitura de Londrina

A Prefeitura de Londrina abriu quatro novos pontos de vacinação contra a Covid-19 na cidade, a partir deste segunda-feira (29). Os locais funcionarão como pontos de aplicação da segunda dose do imunizante.

Os novos pontos são as Unidades Básicas de Saúde (UBS) Alvorada, Casoni, Ernani e Eldorado.

Para a primeira aplicação da vacina, os pontos de vacinação continuam sendo a UBS Jardim do Sol e o Centro de Imunização da Zona Norte.

Segundo a prefeitura, a abertura de novos locais aconteceu com o objetivo é facilitar o acesso às doses para os grupos prioritários.

Dependendo do movimento nestes locais, a prefeitura avalia a possibilidade de abrir os pontos de vacinação para aplicação da primeira dose também.

Agendamento
Segundo a prefeitura, foram abertos mil vagas de agendamentos para a aplicação da segunda dose nos quatro novos pontos nesta segunda-feira (29). A vacinação acontece das 7h às 19h.

A prefeitura espera vacinar ao longo do dia todas as pessoas que receberam a primeira dose até o dia 8 de março.

O agendamento para segunda dose da Coronavac foi liberado aos idosos acima de 80 anos e profissionais de saúde.

Serviço
Para receber a vacina em Londrina, é preciso fazer um cadastro no site da prefeitura.

Clique aqui para fazer o cadastro.

No dia da vacinação, é preciso apresentar comprovante do agendamento contendo o QR Code, impresso ou salvo no celular, documento de identificação com foto e a carteira de vacinação, entregue no primeiro atendimento.

Fonte: https://g1.globo.com/pr

Comentários
Continue lendo

Mais Lidas