Conecte-se Conosco

Economia

Oi vende rede móvel para consórcio formado por Tim, Vivo e Claro por R$ 16,5 bilhões

Com o leilão dos ativos móveis, operadora Oi vai deixar de operar no mercado de telefonia móvel brasileiro, enquanto as três gigantes aumentam ainda mais sua participação.

Publicado

em

Fotos: Marcos Serra Lima/G1 e Reprodução

O consórcio formado pela Tim, Vivo e Claro arrematou, na tarde desta segunda-feira (14), os ativos da rede móvel da operadora Oi por R$ 16,5 bilhões. O leilão foi realizado pela 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro e faz parte do plano de recuperação judicial da companhia, iniciado em 2018.

Com o resultado do leilão, a Oi deve desaparecer do mercado de telefonia móvel brasileiro. Agora, ela detém apenas os ativos de infraestrutura e fibra, que ainda deverão ser parcialmente vendidos.

Com a Oi deixando de operar, as três gigantes telefônicas vão aumentar ainda mais a sua participação no mercado de telefonia móvel do Brasil, que passa a ser ainda mais concentrado.

Este foi o segundo leilão de ativos da Oi para quitar as suas dívidas. O primeiro foi realizado no dia 26 de novembro e atraiu poucos interessados. Nele, foram vendidas as torres de telefonia e data centers da companhia por cerca de R$ 1,4 bilhão.

A Highline do Brasil, do grupo norte-americano de private equity Digital Colony, comprou a unidade de torres por R$ 1,067 bilhão – foi a única oferta apresentada para este ativo. Já a unidade de data centers foi arrematada pela Titan Venture Capital por R$ 325 milhões de reais, também única apresentada no leilão.

O plano de vender os seus ativos foi anunciado pela Oi no dia 15 de junho deste ano. Na ocasião, a companhia informou que iria dividir a empresa em quatro áreas para poder vendê-las. Na divisão, os ativos foram reunidos em Unidades Produtivas Isoladas (UPIs): Ativos Móveis, Torres, Data Center e InfraCo.

A UPI InfraCo reúne os ativos de infraestrutura e fibras e ainda deverá ser parcialmente vendida em leilão, ao preço mínimo de R$ 6,5 bilhões. No plano anunciado pela Oi em junho, a companhia disse que o futuro comprador ficará com 51% do capital votante.

Mais de R$ 12,2 bilhões de prejuízo em 9 meses
Entre janeiro e setembro deste ano, a Oi acumulou prejuízo de cerca de R$ 12,2 bilhões – foram três trimestres seguidos de queda. A expectativa é que a companhia encerre o 4º trimestre também com prejuízos.

O maior prejuízo foi registrado no 1º trimestre do ano, de R$ 6,25 bilhões. No 2º trimestre, o prejuízo foi de R$ 3,4 bilhões. Já no 3º trimestre, ele foi de R$ 2,6 bilhões.

Conforme o último relatório dos resultados financeiros, a Oi encerrou o 3º trimestre com uma dívida líquida de R$ 21.243 milhões.

Parte da dívida da companhia foi reduzida no dia 27 de novembro, logo após o primeiro leilão de ativos. Ela recebeu um desconto de 50% na dívida de cerca de R$ 14 bilhões devida à União.

O desconto foi aplicado graças à uma modificação aprovada pelo Senado na lei de falências, que permitiu que empresas em recuperação judicial possam quitar suas dívidas com descontos de até 50% e parcelamento em até 84 meses.

Fonte: https://g1.globo.com/economia/

Comentários

Economia

Agepar prorroga suspensão do reajuste da Rodonorte por 60 dias

Inicialmente, o Conselho Diretor da Agepar suspendeu, cautelarmente por 60 dias, o reajuste das tarifas da Rodonorte em 26 de novembro de 2020.

Publicado

em

Fotos: Geraldo Bubniak/ANPr e Rodrigo Morosini

O Conselho Diretor da Agepar (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná) aprovou nesta terça-feira (26) a prorrogação da suspensão, por mais 60 dias, do reajuste das tarifas de pedágio cobradas nas praças da concessionária Rodonorte.

Inicialmente, o Conselho suspendeu, cautelarmente por 60 dias, o reajuste das tarifas da Rodonorte em 26 de novembro de 2020. À época, a decisão fazia parte de uma análise sobre cálculos na aplicação de degraus tarifários e índices de depreciação de investimentos e afetou o reajuste anual previsto em contrato para o mês de dezembro.

A concessionária tentou, no fim de dezembro, conseguir o reajuste na Justiça Federal, mas teve seu pedido negado. Sem fatos novos, o Conselho aprovou a prorrogação da suspensão para que ocorra prazo suficiente para instrução até o julgamento do mérito. Como na reunião virtual de novembro, houve a oportunidade para sustentação oral da defesa da concessionária, que optou por não se manifestar.

Fonte: http://www.aen.pr.gov.br/

Comentários
Continue lendo

Economia

Vencimento do IPVA no Paraná começa nesta segunda (25); confira as datas

Contribuinte que pagar em cota única tem desconto de 3%. Boletos devem ser impressos pelos proprietários dos veículos.

Publicado

em

Foto: José Fernando Ogura/Divulgação/Aen e Reprodução Sefa

O vencimento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) no Paraná começou nesta segunda-feira (25). Veja o cronograma mais abaixo.

Os contribuintes do estado ganharam uma semana, após a Receita Estadual do Paraná adiar os prazos por causa de instabilidade no site da Secretaria da Fazenda (Sefa).

O boleto para pagamento do IPVA não é enviado para a casa dos proprietários de veículos. É necessário entrar no site da Sefa e imprimir o documento. Entenda o passo a passo mais abaixo.

Emissão do boleto
Como já aconteceu em 2020, o boleto não será enviado para casa das pessoas. Para efetuar o pagamento, é preciso emitir a guia pelo site da Sefa.

No site, é preciso acessar a opção “Consultar Débitos do IPVA” na aba de Serviços.

Para acessar o boleto, é preciso ter em mãos o número do Renavam, que consta no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV).

Segundo o governo estadual, é possível pagar o imposto também diretamente nos caixas ou canais de atendimento no Banco do Brasil, Itaú, Santander, Bradesco, Sicredi, Banco Rendimento e Bancoop.

Parcelado
Neste ano, por causa das dificuldades financeiras causadas pela pandemia do novo coronavírus, a Sefa informou que será possível parcelar em até cinco vezes o IPVA.

Nos anos anteriores, era possível parcelar em até três vezes.

Neste caso, o calendário de pagamento vai até maio.

Fonte: https://g1.globo.com/pr

Comentários
Continue lendo

Economia

Governo anuncia mudança na norma da pesagem para reduzir custos do caminhoneiro

O governo federal decidiu revisar a norma e vai utilizar uma nova metodologia.

Publicado

em

Foto: Reprodução

Caminhoneiro vai pagar menos na pesagem. O governo federal decidiu revisar a norma e vai utilizar uma nova metodologia.

De acordo com Agência Brasil, uma das mudanças é a substituição do cálculo de peso por eixo por peso bruto, que já vale para algumas categorias.

Também será ampliada a tolerância do peso de cargas. As medidas tem o objetivo de baratear os custos do transporte rodoviário de carga.

Em live nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro disse que a nova norma será publicada em breve e deverá onerar menos o caminhoneiro.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, disse que a revisão está quase finalizada e lembrou que o governo federal eliminou a tarifa de importação de pneus para o transporte de cargas.

Freitas informou ainda que será lançado o documento de transporte eletrônico para os caminhoneiros.

A ideia é reunir em um único documento, os cerca de 15 a 20 que são exigidos pela legislação para motoristas de carga.

Fonte: www.radio2.com.br

Comentários
Continue lendo

Mais Lidas