Conecte-se Conosco

Cotidiano

Na reabertura das agências do INSS, uso de máscaras e medição de temperatura serão obrigatórios

Retomada do atendimento presencial está prevista para 14 de setembro, apenas para quem tiver horário marcado pelo Meu INSS ou pelo telefone 135.

Publicado

em

Fotos: Eliane Neves/ Fotoarena/ Estadão Conteúdo e Reprodução

Depois de meses fechadas por conta da pandemia, as agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começam a reabrir para atendimento presencial na próxima segunda-feira (14). Para a reabertura, uma portaria publicada nesta sexta-feira (11) no Diário Oficial da União estabelece as medidas de prevenção que deverão ser adotadas.

Em um primeiro momento, o atendimento será retomado ‘pouco mais de 500’ das 1,5 mil agências do país. O instituto optou por reabrir as maiores agências, que respondem por cerca de 70% da demanda. O horário de funcionamento será das 7h às 13h.

Só será atendido quem agendar antes o atendimento. O objetivo é evitar aglomerações dentro e fora das agências. O agendamento deve ser feito pelo Meu INSS ou pelo telefone 135. O INSS também pede que os segurados não cheguem com muita antecipação ao horário marcado, para evitar aglomerações.

Ao realizar o agendamento, o segurado será orientado em relação à agência onde será atendido.

Quem for às agências deverá usar máscaras e será terá sua temperatura medida antes de entrar no local.

Se a temperatura estiver dentro da normalidade (menor que 37,5°C), o funcionário deverá orientar o segurado sobre:
. a necessidade do uso de álcool em gel para higienização das mãos;

. importância de manter o distanciamento mínimo de 1 metro entre as pessoas; e

. a obrigatoriedade o uso de máscara durante todo o período em que permanecer nas dependências do INSS. Se o segurado estiver usando máscara úmida, suja ou rasgada, deverá receber uma máscara descartável.

Os servidores, empregados públicos, contratados temporários, estagiários, terceirizados e colaboradores deverão usar Equipamentos de Proteção Individual para realização das suas atividades.

Se a temperatura se mantiver indicativa de febre (mais que 37,5°C), o acesso do segurado será negado e ele será orientado a procurar uma unidade de saúde ou um médico. O funcionário deverá ainda orientar o cidadão a realizar o reagendamento do serviço pelos canais remotos.

Reabertura terá restrição de serviços
Segundo o INSS, estarão disponíveis para atendimento presencial os serviços de:
. perícia médica;

. avaliação social;

. cumprimento de exigência;

. justificação administrativa ou judicial; e

. reabilitação profissional.

Solicitações de aposentadoria, pensão, salário maternidade, continuarão sendo feitos remotamente.

De acordo com o INSS, o atendimento presencial está sendo retomado devido a uma forte demanda relativa a cumprimento de exigências por parte do segurado. Esses pedidos são aqueles em que é verificada a necessidade de outros documentos para concessão do benefício.

“A principal atividade nessa retomada é o cumprimento de exigências”, disse o presidente do INSS Leonardo Rolim. Embora essa entrega possa ser feita pelo Meu INSS, “grande maioria das pessoas não conseguiu utilizar esses instrumentos. Vai conseguir entregar esses documentos na agência”, explicou.

O INSS tem hoje 906 mil requerimentos em exigência, aqueles que dependem de informação complementar.

Protocolos de abertura
De acordo com o INSS, as agências que reabrirem atenderão todos os protocolos de segurança contra a Covid-19. Os locais de perícia passarão ainda por verificações periódicas, o que pode fazer com que varie o número de locais com atendimento presencial.

“Somente abrirão as agências com 100% dos protocolos atendidos”, afirmou o secretário especial da Previdência do Ministério da Economia, Bruno Bianco.

Ele informou ainda que o site do INSS deverá informar a cada dia as agências que estarão abertas.

“Ao longo dos dias estaremos passando à população quais agências estarão abertas ou não, quais terão perícia. A partir de segunda retomaremos as inspeções”, disse Bianco.

Demora na reabertura
A reabertura estava prevista inicialmente para 13 de julho, e uma primeira prorrogação determinava a retomada gradual do atendimento presencial a partir de 3 de agosto. Depois, o governo passou para 24 de agosto. No último adiamento, a data para retomada foi estabelecida para 14 de setembro.

Agências fechadas do INSS dificultam vida do segurado; veja que situações dependem de avaliação presencial

No país, existem 1.525 agências da Previdência Social. Segundo o INSS, antes da reabertura, cada unidade irá avaliar o perfil do quadro de servidores e contratados, o volume de atendimentos realizados, a organização do espaço físico, as medidas de limpeza e os equipamentos de proteção individual e coletiva.

Segundo o INSS, as unidades que não reunirem as condições necessárias para atender ao cidadão de forma segura continuarão em regime de plantão reduzido e será disponibilizado um painel eletrônico contendo informações sobre o funcionamento das agências da Previdência Social, os serviços oferecidos e o horário de funcionamento.

Prova de vida segue suspensa
Segue suspensa, até 30 de setembro, a exigência de recadastramento anual de aposentados e pensionistas, a chamada prova de vida, de acordo com instrução normativa do Ministério da Economia. A partir de 1º de outubro, os segurados deverão buscar a agência onde recebem o benefício para atender à exigência. Veja mais no vídeo abaixo:

Central de atendimento
O INSS esclarece que os serviços que não estarão disponíveis de forma presencial neste primeiro momento continuam pelos canais remotos, o Meu INSS (pelo site e aplicativo) e telefone 135.

O INSS disponibiliza em seu site um guia para ajudar aqueles que têm alguma dúvida de como acessar o Meu INSS. Para saber como gerar sua senha, além de aprender a solicitar serviços e benefícios, acesse https://www.inss.gov.br/servicos-do-inss/meu-inss/.

Fonte: https://g1.globo.com

Comentários

Saúde

Saúde alerta para doença rara que pode estar associada à Covid-19

Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P). Os sintomas costumam aparecer até quatro semanas após a exposição ao coronavírus em crianças e adolescentes de zero a 19 anos.

Publicado

em

Foto: SESA

A Secretaria de Estado de Saúde está monitorando os casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), uma doença considerada rara e que pode estar associada ao coronavírus. Os sintomas costumam aparecer até quatro semanas após a exposição ao vírus em crianças e adolescentes de zero a 19 anos.

Com objetivo de identificar se a síndrome pode estar relacionada à Covid-19, o Ministério da Saúde, em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), emitiu em maio um alerta orientando sobre o manejo clínico e a importância da identificação precoce dos casos de SIM-P no Brasil.

Em julho, o ministério publicou a nota técnica nº 16/2020-CGPNI/DEIDT/SVS/MS, que orienta sobre como a notificação deve ser realizada pelos serviços de saúde ao identificar crianças ou adolescentes que preencham a definição de caso através dos sinais e sintomas mais comuns.

“Trata-se de uma medida de vigilância em saúde. É muito importante que os serviços de saúde notifiquem no sistema sobre os possíveis casos desta doença, prestando atenção nos sintomas, principalmente se a criança ou o adolescente tiveram a confirmação laboratorial de coronavírus, pois isso pode remeter à hipótese de associação entre a SIM-P e a Covid-19”, disse o secretário da Saúde, Beto Preto.

SINTOMAS
Os sintomas são febre persistente, conjuntivite, edema em extremidades, manchas no corpo, dor abdominal, manifestações gastrointestinais (vômito e diarréia) e elevados marcadores inflamatórios, sendo que os sintomas respiratórios nem sempre estão presentes.

NÚMEROS
No Brasil, até 22 de agosto, dados do Ministério da Saúde mostram que foram notificados casos de 197 crianças e adolescentes de zero a 19 anos. Destes, 14 morreram em função da SIM-P temporalmente associada à Covid-19. No Paraná, até esta terça-feira (22), foram notificados 10 casos, de acordo com levantamento da secretaria estadual da Saúde – seis do sexo masculino e quatro do feminino, com idade entre três a 16 anos. Quatro já tiveram alta hospitalar, três foram a óbito e três permanecem em investigação. Os casos ocorreram nos municípios de Curitiba (7), Fazenda Rio Grande (1), Realeza (1) e Medianeira (1).

Fonte: http://www.aen.pr.gov.br/

Comentários
Continue lendo

Concursos e Empregos

Paraná tem quase 2,5 mil vagas de emprego em todas as regiões; confira

Maioria das vagas é para auxiliar de linha de produção, totalizando 1.525.

Publicado

em

Foto: Jorge Júnior/Rede Amazônica

O Paraná tem 2.494 vagas de emprego disponíveis nas Agências do Trabalhador de todas as regiões, de acordo com o governo estadual.

A maioria das vagas é para auxiliar de linha de produção, totalizando 1.525.

Depois, os maiores números de vagas são para alimentador de linha de produção – com 88 vagas – e para ajudante de carga e descarga de mercadoria, com 75 vagas.

As vagas cadastradas podem ser buscadas pelos trabalhadores pela internet; confira.

Curitiba
Em Curitiba, segundo o governo estadual, são 523 vagas.

Os maiores números de vagas estão disponíveis para as seguintes funções:
.Operador de telemarketing ativo e receptivo – 120

.Empacotador – 44

.Operador de telemarketing ativo – 42

A capital parananense também está com uma ação para a inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho. São 680 vagas.

Até domingo (27), será disponibilizado um site exclusivo para cadastro de currículos e de laudos médicos para oportunidades de emprego.

Como agendar horário?
Por causa da pandemia do novo coronavírus, o atendimento presencial nas Agências do Trabalhador só estão ocorrendo mediante agendamento prévio que pode ser feito pela internet. Agende seu horário.

Fonte: https://g1.globo.com/pr/

Comentários
Continue lendo

Cotidiano

Chuva e força-tarefa ajudam a reduzir focos de incêndio no Pantanal

No domingo, foram identificados em Mato Grosso do Sul 22 focos em Corumbá e 1 em Pedro Gomes, redução de 50% em relação ao dia anterior.

Publicado

em

Fotos: Chico Ribeiro/ Governo de Mato Grosso do Sul e Corpo de Bombeiros/Divulgação

A chuva que caiu no fim de semana no Pantanal e no Cerrado sul-mato-grossense somada à força-tarefa de bombeiros, brigadistas do Ibama e ICMBio ajudaram a reduzir os focos de incêndio nestas regiões. O governo estadual de Mato Grosso do Sul diz que a situação ainda é de alerta.

No Mato Grosso, a chuva que caiu na madrugada deste domingo (20) na região do Pantanal, embora considerada fraca, também amenizou os focos de calor na região.

Nesta segunda-feira (21), uma equipe em três embarcações, se deslocará para a região do Amolar, em Mato Grosso do Sul, local conhecido como Serra Negra, em Corumbá, onde ainda há diversos focos.

Segundo informações do governo do estado, no domingo (20), choveu pouco, mas já foi suficiente para aumentar a umidade do ar e reduzir os focos. Foram identificados 22 focos em Corumbá e 1 em Pedro Gomes, municípios que ficam no Pantanal. Os números equivalem à redução de 50% em relação ao dia anterior. No início do mês, Pantanal e Cerrado concentravam mais de mil focos.

As precipitações ocorridas no sábado e no domingo foram baixas nas regiões críticas de queimadas, em Mato Grosso do Sul, mas o suficiente para aumentar a umidade e favorecer o controle dos focos, disse Jaime Verruck, secretário estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar.

O secretário informou ainda que a força-tarefa prioriza neste momento as ações de combate aos incêndios no Parque do Taquari e na divisa de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso (Norte de Corumbá).

Setembro tem recorde de incêndios
O Pantanal vem sofrendo com as queimadas nas últimas semanas. O tempo seco, a umidade relativa do ar e os ventos têm feito com que o fogo se alastre rapidamente.

Segundo os últimos dados do Ibama, os incêndios já destruíram ao menos 1.165 milhão de hectares de vegetação do bioma do lado de Mato Grosso do Sul. O estado está em situação de emergência ambiental e a União já garantiu ajuda com R$ 3,8 milhões. Bombeiros do Paraná ajudam no combate.

A Polícia Federal investiga os responsáveis por alguns destes focos de incêndio. Através de análises de imagens de satélites, os policiais chegaram à suspeita de que fazendeiros da região da Serra do Amolar teriam colocado fogo em vegetação para transformação em área de pastagem.

Uma operação cumpriu mandados de busca e apreensão em propriedades rurais e o dono de uma delas foi preso em flagrante por posse irregular de arma e de munições.

Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari
No Cerrado, o combate ao fogo no Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari segue com um contingente de 150 combatentes, sendo 70 homens do Exército e 60 entre bombeiros de Mato Grosso do Sul, do Paraná e voluntários. A estrutura conta ainda com oito aeronaves, sendo duas do ICMbio, três do setor de energia do Estado e outras três bancadas pelo setor de florestas. O Imasul (Instituto de Meio Ambiente e MS) também integra a força-tarefa no monitoramento do Parque do Taquari.

Fonte: https://g1.globo.com/ms

Comentários
Continue lendo

Mais Lidas