Conecte-se Conosco

Esportes

Jogador brasileiro não sobrevive à parada cardiorrespiratória e morre em Portugal

Alex Apolinário defendia o Alverca e faleceu por morte cerebral, segundo o clube; Mundo do futebol presta homenagens.

Publicado

em

Foto: Getty Images

O jogador Alex Apolinário, do Alverca, que havia sofrido uma parada cardiorrespiratória no último domingo, morreu nesta quinta-feira. O clube português divulgou um comunicado sobre o falecimento do brasileiro, por morte cerebral.

– Com profundo pesar comunicamos, de acordo com as informações prestadas pelo corpo médico do Hospital de Vila Franca de Xira, o falecimento por morte cerebral do nosso atleta Alex Sandro dos Santos Apolinário, esta manhã. O FC Alverca Futebol SAD prestará todo o apoio necessário a seus familiares – declarou o Alverca.

Alex Apolinário sofreu a parada cardiorrespiratória durante o jogo do Alverca contra o Almeirim, válido pela terceira divisão do Campeonato Português. Ele caiu desacordado no gramado por volta dos 27 minutos do primeiro tempo, perto do círculo central. Veja.

Os jogadores alertaram o árbitro, que decidiu não retomar a partida por causa do episódio. O brasileiro precisou ser atendido com o uso de desfibrilador e, depois de ter a situação estabilizada, foi encaminhado ao Hospital de Vila Franca de Xira para continuar com a recuperação.

Alverca anuncia morte do brasileiro Alex Sandro — Foto: Reprodução

A mãe do jogador, Vânia Apolinário, havia recebido a notícia na terça-feira de que os médicos do Hospital de Vila Franca de Xira estavam otimistas com os exames realizados com Alex, para avaliar as funções de órgãos vitais. Mas infelizmente ele não sobreviveu.

Alex Apolinário tinha 24 anos e jogava no Alverca desde o início de 2019, quando saiu do Cruzeiro. Ele ganhou notoriedade em Portugal ao marcar um dos gols da vitória por 2 a 0 sobre o Sporting de Lisboa, na temporada passada, que eliminou o clube de maior expressão da Taça de Portugal. Ele teve passagens pelas categorias de base e do Botafogo-SP, Cruzeiro e Athletico-PR.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/

Comentários

Esportes

Londrina vence e garante o acesso à Série B 2021. Remo está na final da Série C

Londrina consegue o resultado no Mangueirão e conta com o tropeço do Paysandu diante do Ypiranga-RS; Mesmo com a derrota, Remo está na decisão e espera pelo adversário do Grupo C.

Publicado

em

Fotos: Reprodução

O Londrina venceu o Clube do Remo por 1 a 0 na tarde-noite deste sábado, no Estádio Mangueirão, em Belém, e garantiu o acesso à Série B do Brasileiro 2021. Antes do confronto iniciar, o Tubarão tinha a missão mais difícil do quadrangular da Terceirona. Só a vitória interessava e ainda teria que torcer por um tropeço do Paysandu contra o Ypiranga-RS. E deu tudo certo. Com gol contra de Gilberto Alemão, aos 42 minutos do segundo tempo, os paranaenses fizeram o resultado na capital paraense e contaram com a vitória do Canarinho gaúcho pelo mesmo resultado diante do Papão.

O Leão Azul, mesmo derrotado em casa – já havia conquistado a vaga na Segundona com uma rodada de antecedência – está na final da competição nacional, aguardando as definições do Grupo C, neste domingo, para saber qual será o adversário.

Primeiro tempo
Com a vitória sendo o único resultado que interessava, o Londrina forçou Vinícius a fazer uma grande defesa logo aos cinco minutos. Igor Paixão arriscou de fora da área e o goleiro espalmou à escanteio. A partir daí, as jogadas de perigo passaram a ser esporádicas. Com o acesso garantido e precisando apenas de um empate para sacramentar a vaga na final, o Remo jogava com tranquilidade, sem urgência, trabalhando a bola e deixando o jogo morno.

O Tubarão não tinha fôlego para pressionar na frente, era lento, muito preso. Nos minutos finais do embate, porém, a coisa esquentou. Douglas Santos e Carlos Henrique assustaram Vinícius em lances seguidos. O Leão Azul respondeu com Lucas Siqueira, de longe, com a bola passando muito próxima da trave. Os times foram para o intervalo no 0 a 0.

Segundo tempo
O segundo tempo começou pegando fogo. O cronômetro não marcava nem cinco minutos quando Tcharlles, em um chute que saiu sem força, e Marcondes, no desvio que quase termina em gol contra, tiveram lances importantes para o Remo. O Londrina quase marca logo em seguida. Carlos Henrique bateu forte e o paredão azulino, Vinicius, defendeu com o pé, salvando os donos da casa. Era lá e cá. Gedoz cobrou escanteio, Fredson testou e a bola explodiu no travessão. Quase o primeiro do Leão! Aos 19, Eduardo Ramos cabeceou no ângulo e Dalton fez um verdadeiro milagre no Mangueirão. O Tubarão não desanimou e parou novamente no goleiro em uma finalização de Victor Daniel.

E os paranaenses seguiram pro tudo ou nada. Samuel Gomes recebeu o passe na área, ficou cara a cara com Vinícius e a bola passou muito perto da trave. Incrível! Na base do abafa, entretanto, veio a jogada que garantiu o Londrina na Série B. Aos 42 minutos, Gedoz perdeu a bola na entrada da área, Jardel cruzou, Vinicius saiu mal, Samuel Gomes pegou a sobra e bateu para o meio. A bola desviou no zagueiro Gilberto Alemão e entrou. Gol contra, mas suficiente para, após o apito final, o time londrinense comemorar o retorno à Segundona nacional!

Classificação final do quadrangular
O Remo terminou na liderança do Grupo D com 10 pontos em seis jogos, seguido pelo Londrina, com nove, fechando o G2 do acesso. O Ypiranga-RS ficou na terceira posição com sete, enquanto que o Paysandu se despediu do torneio na última colocação com os mesmos sete pontos, mas perdeu nos critérios de desempate: saldo de gol -2 contra -1 dos gaúchos.

Comemoração, Remo x Londrina, Série C – Foto: Fernando Torres/AGIF – Estadão Conteúdo

Partidas da final da Série C
O Londrina, agora, irá se preparar para as competições de 2021, entre elas a Série B. O Clube do Remo ainda terá mais dois jogos pela frente na final da Série C, marcados para os dias 24 e 31 deste mês, dois domingos. O adversário ficará entre Brusque e Vila Nova, que jogam neste domingo, dia 17. Somente o Brusque poderia tirar a possibilidade de vantagem azulina de decidir a competição em casa. Se os catarinenses vencerem o Santa Cruz no Recife, se igualam aos paraenses em pontos (41), vitórias (11), mas teriam que tirar uma vantagem no saldo de gols que hoje é de 12 para o Remo contra apenas 2.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/

Comentários
Continue lendo

Esportes

Corte Arbitral do Esporte confirma que Rússia não poderá participar das Olimpíadas de Tóquio

CAS não aceita apelação russa e confirma que país está fora das próximas Olimpíadas de inverno e verão e também da Copa do Mundo de futebol; atletas, se provarem que não estão dopados, poderão competir, mas com a bandeira do COI.

Publicado

em

Foto: Divulgação

A Rússia está proibida de usar seu nome, sua bandeira e seu hino nas competições dos próximos dois anos, incluindo as Olimpíadas de verão, marcadas para Tóquio no ano que vem, os Jogos de Inverno, que serão em Pequim em 2022, e a Copa do Mundo de futebol, no Catar, também em 2022. A decisão foi confirmada nesta quinta-feira pela Corte Arbitral do Esporte (CAS), na Suíça.

Atletas e times russos poderão competir nas Olimpíadas e em outros eventos, mas não com seus uniformes e bandeiras. Eles, confirmado que não estão envolvidos em escândalos de doping, poderão competir, mas não representando a Rússia, e sim sob um bandeira do Comitê Olímpico Internacional (COI), no caso das Olimpíadas.

Segundo o Tribunal, as autoridades russas adulteraram um banco de dados do laboratório de testes de Moscou antes de entregá-lo aos investigadores da WADA no ano passado, que continha evidências prováveis ​​para processar violações de doping de longa data. Isso foi a gota d´água, depois de todo o escândalo que já tinha ocorrido em 2015. Na ocasião, veio a público o escândalo de doping institucionalizado no país, inclusive com suporte do Governo local.

Rusada Agência Antidoping da Rússia — Foto: Maxim Shemetov/Reuters

Apesar de todo o acontecimento, os russos tiveram duas vitórias no resultado do julgamento: a punição sugerida pela Agência Mundial Antidoping era de quatro anos, e a Corte decidiu que o banimento é por apenas dois anos. Outro fator positivo é com relação ao nome da equipe proposta em grandes eventos. O nome “Rússia” até pode ser mantido nos uniformes se as palavras “Atleta Neutro” ou “Equipe Neutra” tiverem igual destaque.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) chegou a excluir a Rússia dos Jogos Olímpicos do Rio 2016, mas deixou nas mãos das federações nacionais a decisão de executar a suspensão. No Rio, por exemplo, os competidores do atletismo da Rússia não puderam usar a bandeira do país, o mesmo acontecendo com o remo e levantamento de peso. Nos Jogos de inverno de 2018, o pais não participou de nenhuma modalidade, com os atletas, sem a bandeira, conquistando 17 medalhas.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/

Comentários
Continue lendo

Esportes

Lewandowski bate Messi e Cristiano Ronaldo e é eleito o melhor jogador do mundo

Atacante do Bayern confirma favoritismo contra maiores jogadores da geração, enquanto inglesa Lucy Bronze surpreende e leva como melhor jogadora. Veja todos os premiados:

Publicado

em

Fotos: Reprodução Twitter e EFE/EPA/Valeriano di Domenico

Deu a lógica, por mais estranha que possa parecer essa frase. O centroavante polonês Robert Lewandowski confirmou o favoritismo e foi eleito nesta quinta-feira o melhor jogador do mundo da temporada 2019/20 na premiação Fifa The Best. O jogador do Bayern bateu ninguém menos que Messi, do Barcelona, e Cristiano Ronaldo, da Juventus, os maiores de sua geração.

Lewandowski foi o primeiro com 58 pontos, enquanto Cristiano Ronaldo terminou em segundo, com 38, muito perto de Messi, terceiro com 35. Neymar foi apenas o nono colocado.

A melhor jogadora foi a inglesa Lucy Bronze, ex-Lyon e atualmente no Manchester City, surpreendentemente à frente da dinamarquesa Pernille Harder e da francesa Wendie Renard.

A cerimônia do Fifa The Best, totalmente virtual, foi apresentada pelo ex-jogador holandês Ruud Gullit e pela jornalista inglesa Reshmin Chowdhury. Lewandowski recebeu o prêmio das mãos do presidente da Fifa, Gianni Infantino.

O prêmio de melhor jogador do mundo foi o último dos 11 entregues pela Fifa. Veja todos abaixo em ordem:

Melhor goleira: Sarah Bouhaddi (Lyon)

A primeira vencedora foi a goleira francesa Sarah Bouhaddi, do Lyon, que superou a chilena Christiane Endler, do Paris Saint-Germain, e a norte-americana Alyssa Naeher, do Chicago Red Stars.

Melhor goleiro: Neuer (Bayern)

Em seguida, foi a vez dos homens. O brasileiro Alisson, do Liverpool, o alemão Manuel Neuer, do Bayern, e o esloveno Oblak, do Atlético de Madrid, concorreram ao prêmio de melhor goleiro. Neuer levou a melhor depois de ter sido campeão de tudo com o Bayern.

Prêmio Puskás: Son (Tottenham)
O coreano Son, do Tottenham, venceu a disputa com os uruguaios Luis Suárez (ex-Barcelona e atualmente no Atlético de Madrid) e Giorgian De Arrascaeta (Flamengo).

Melhor técnica: Sarina Wiegman (Holanda)

Melhor técnico: Jürgen Klopp (Liverpool)
O alemão ganhou pelo segundo ano consecutivo ao bater Hansi Flick (Bayern) e Marcelo Bielsa (Leeds United).

Prêmio Fair Play: Mattia Agnese (Itália)
O jogador italiano Mattia Agnese ganhou o prêmio por ter salvado a vida de um jogador adversário durante um jogo pelo Ospedaletti, um pequeno time da Itália.

Fifa Fan Award: Marivaldo Francisco da Silva (Brasil)

O torcedor do Sport que anda quase 60 quilômetros para ver o seu time do coração levou a melhor sobre filantropo escocês e torcedores colombianos.

Seleção Fifa FIFPro Feminina

Endler, Bronze, Renard, Bright, Cascarino, Bonansea, Verônica Boquete, Megan Rapinoe, Harder, Miedema e Tobin Heath.

Seleção Fifa FIFPro Masculina

Alisson, Alexander-Arnold, Van Dijk, Sergio Ramos, Davies; Kimmich, De Bruyne, Thiago Alcântara; Messi, Lewandowski e Cristiano Ronaldo.

Melhor jogadora: Lucy Bronze (Lyon/Manchester City)

A lateral-direita inglesa Lucy Bronze, do Manchester City, que conquistou o prêmio por suas atuações pelo Lyon, onde jogou até agosto, superou na eleição a atacante dinamarquesa Pernille Harder, ex-Wolfsburg, hoje no Chelsea, e a zagueira francesa Wendie Renard, do Lyon.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/

Comentários
Continue lendo

Mais Lidas