Conecte-se Conosco

Economia

Consumo de cerveja ‘migra’ para dentro de casa e volume de vendas no Brasil é o maior desde 2014

Vendas da bebida no país cresceram 5,3% em 2020, na comparação com 2019, na contramão da economia e do mercado global, segundo levantamento da Euromonitor.

Publicado

em

Fotos: Cácio Xavier/Arquivo Pessoal, Economia G1 e Marcelo Brandt/G1

A pandemia tem feito o brasileiro beber mais cerveja. Com as restrições de funcionamento de bares e o medo de contágio da Covid-19, o consumo migrou para dentro de casa e o volume total de vendas no país atingiu um nível que não era visto há anos, de acordo com dados de empresas que monitoram o mercado.

Levantamento inédito da Euromonitor, antecipado para o G1, mostra que o volume de vendas de cerveja no Brasil em 2020 foi o maior dos últimos 6 anos, atingindo 13,3 bilhões de litros, perdendo só para 2014, ano em que o país sediou a Copa do Mundo.

Já dados da Kantar revelam que o consumo nas residências bateu um recorde histórico. O percentual de brasileiros com mais de 18 anos que bebeu cerveja dentro de casa saltou para 68,6% em 2020, ante 64,6% em 2019.

Vendas crescem no Brasil e caem no mundo
Segundo a Euromonitor, o volume de vendas de cerveja no país teve um crescimento anual de 5,3% em 2020, vindo de um avanço de 3,5% em 2019. O avanço ocorreu em um ano em que o PIB tombou 4,1% e que as famílias tiveram que consumir menos por conta da crise e da queda da renda.

Em termos de faturamento, o crescimento foi ainda maior – de 9,9% na comparação com 2019 – com as vendas de cerveja no varejo totalizando um mercado de R$ 184,5 bilhões, impulsionado pela maior penetração das chamadas cervejas premium, mais caras.

O maior consumo de cerveja pelos brasileiros em meio à pandemia elimina quase por completo uma trajetória de queda que vinha sendo observada desde a recessão dos anos 2015-2016, e vai na contramão de tendência global de menor consumo de bebidas alcóolicas e de busca por hábitos mais saudáveis.

Quando colocado em perspectiva global, o Brasil foi o único entre os 5 maiores mercados de cerveja a ter crescimento positivo tanto em valor quanto em volume em 2020, acima também da média do desempenho mundial do setor, que apresentou queda de 12,5% em valor e recuo de 6,8% em volume, de acordo com os dados da Euromonitor.

A cerveja foi, de longe, a bebida alcóolica com maior volume de vendas no Brasil no ano passado, seguida por cachaça (398,8 milhões de litros) e vinho (380 milhões de litros).

O Brasil é o terceiro maior mercado consumidor de cervejas, atrás somente da China e Estados Unidos. Nos Estados Unidos, porém, houve queda de 3,4% nas vendas em 2020 em termos de volume. Já na China o volume foi 7% menor na comparação com o ano anterior, de acordo com a consultoria.

O que explica o crescimento

O crescimento em 2020 foi impulsionado principalmente pela migração do consumo para dentro de casa. Segundo a Euromonitor, a volume de vendas nos bares de restaurantes caiu 2,2%, mas foi mais do que compensando pelo salto 17,6% nas vendas do chamado “off-trade”, que inclui supermercados e comércio eletrônico.

O analista da Euromonitor Rodrigo Mattos explica que houve um crescimento das vendas das bebidas alcóolicas de uma maneira geral no país, em meio a um comportamento de busca por relaxamento e algum tipo de prazer, como também de maior indulgência do consumidor. Ou seja, de abstenção da culpa.

“A gente bebeu para esquecer. Estávamos num momento de alta ansiedade, de não conseguir ter o lazer que a gente tinha, de uma demanda reprimida por uma experiência que a gente não conseguia ter mais, que é uma experiência fora do lar, e as pessoas tentaram fazer uma mímica dessa experiência dentro de casa”, afirma o analista, acrescentando que os números do mercado apontam um avanço ainda maior em outras categorias como gin (13,2 %) e vinho (15,2%).
“Às vezes não parece ser uma coisa muito óbvia associar bem-estar com bebida, mas o brasileiro acabou tendo essa solução”, acrescenta.

Considerando todas as bebidas alcóolicas, o volume total de vendas no país teve crescimento de 4,1% em 2020, segundo a Euromonitor, atingindo 14,4 bilhões de litros – também a maior marca desde 2014, quanto o total chegou a 15 bilhões.

Número maior de compradores
Por conta das medidas de distanciamento social e restrições no funcionamento de bares e restaurantes, a penetração de cerveja nos lares atingiu em 2020 um recorde histórico, segundo a Kantar, com avanço em todas as classes sociais.

Nas classes A e B, o percentual de brasileiros adultos que beberam cerveja em casa saltou de 74,7% em 2019 para 79,7% em 2020. Na classe C, subiu de 64,9% para 68,1%, enquanto que nas classes D e E passou de 53,1% para 57,5% em 1 ano.

“Cerveja já era uma categoria que vinha se consolidando no carrinho de compras dos brasileiros, mas em 2020 ganhou mais de 2,2 milhões de novos compradores”, afirma Luisa Uehara, coordenadora de marketing da Kantar.

Os dados da consultoria mostram que a pandemia também fez aumentar o tabagismo no país. A Kantar apontou um crescimento de 12,3% no consumo de cigarros em 2020, na comparação com o ano anterior, com alta de 0,9 ponto percentual no número de fumantes maiores de 18 anos.

Marcas mais consumidas
Brahma e Skol permaneceram na liderança das marcas com maior volume de vendas no país em 2020. Confira o top 5, de acordo com os números da Euromonitor:

Brahma: 21,9%
Skol: 21,5%
Antarctica: 10,5%
Itaipava: 8,4%
Nova Schin: 6,8%

Fonte: https://g1.globo.com/economia

Comentários
Continue lendo
Propaganda

Economia

Contribuinte já pode consultar se está no 3º lote de restituições do IRPF 2021

A consulta já está disponível desde as dez da manhã desta sexta-feira, na página da Receita na internet, ou pelo aplicativo.

Publicado

em

Foto: Reprodução

Terceiro lote de restituições do Imposto de Renda Pessoa Física 2021 será liberado dentro de uma semana, em 30 de julho.

A Receita Federal vai depositar o dinheiro nas contas indicadas por cinco milhões de contribuintes.

O montante a ser pago soma cinco bilhões e 800 milhões de reais, informa o órgão.

A consulta pode ser feita a partir das dez da manhã desta sexta-feira, na página da Receita na internet, ou pelo aplicativo.

Entre os beneficiados estão contribuintes a partir dos 60 anos de idade, contribuintes que possuem deficiência física ou mental ou moléstia grave.

Também estão incluídos cerca de 36 mil e 600 contribuintes, que possuem o Magistério como principal fonte de renda.

Mas a maioria dos que estão no terceiro lote são contribuintes de grupos não prioritários, que entregaram a declaração até 18 de maio.

O primeiro lote de restituições do imposto de renda foi pago em 31 de maio e o segundo em 30 de junho.

O calendário de pagamentos prevê a liberação de mais dois lotes, em 31 de agosto e 30 de setembro.

Fonte: http://www.radio2.com.br/

Comentários
Continue lendo

Economia

Campanha ‘limpa nome’ da Serasa renegocia dívidas por até R$ 100; saiba como participar

Mais de 14 milhões de dívidas podem ser negociadas com até 99% de desconto até o fim do mês.

Publicado

em

Foto: Natalia Filippin/G1

Brasileiros endividados podem renegociar suas dívidas por até R$ 100 com a ajuda da Serasa, durante a campanha Limpa Nome, que acontece durante o mês de julho, com possibilidade de prorrogação.

São 24 empresas de diversos setores que, em parceria com a Serasa, permitem que consumidores paguem seus débitos com descontos que chegam a 99% (veja a lista das empresas participantes abaixo).

Na edição de 2020, a ação possibilitou que mais de 6 milhões de dívidas fossem quitadas. Neste ano, o objetivo é oferecer mais de R$ 12 bilhões em descontos em mais de 14 milhões de dívidas.

O número de famílias endividadas no Brasil chegou a 69,7% em junho – maior percentual desde 2010, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

De acordo com a Serasa, o valor médio das dívidas por negativado é o maior dos últimos 12 meses, chegando a R$ 3.937,38.

Como fazer a negociação?
Os acordos são fechados em menos de 3 minutos e as consultas podem ser feitas de forma gratuita nos seguintes canais:

. Site: serasalimpanome.com.br

. App Serasa no Google Play e Apple Store

. WhatsApp: 11 99575-2096

. Ligação gratuita: 0800 591 1222

Por conta da pandemia do coronavírus, a empresa aconselha o uso dos meios digitais, mas para quem preferir negociar presencialmente, é possível fazer isso em uma das unidades dos Correios. Para isso, é preciso acessar o site www.correios.com.br para conferir os horários de funcionamento antes de ir a uma das agências.

Como negociar on-line?
A negociação é feita pela plataforma do Serasa Limpa Nome, seguindo o passo a passo abaixo:

1. Acessar o site www.serasa.com.br/limpa-nome-online ou baixar o aplicativo no celular, digitar o CPF e preencha o cadastro. É possível também regularizar débitos financeiros pelo WhatsApp, no número (11) 98870-7025.

2. Ao entrar na plataforma, todas as informações financeiras do consumidor já aparecerão na tela, incluindo as dívidas que tiver. Se quiser conhecer as condições oferecidas para pagamento, basta clicar em uma delas e serão apresentadas as opções para renegociar cada débito.

3. Depois de optar por uma das opções de valor, é só escolher se vai ser à vista ou em parcelas e a melhor data de vencimento.

4. A plataforma gera um ou mais boletos, dependendo da forma de pagamento escolhida, já com a data de vencimento correta. O boleto poderá ser pago on-line, em agências bancárias e casas lotéricas.

Empresas participantes
Ativos
Atlântico
Avon
BMG
Bradesco
Calcard
Casas Bahia
Claro
Colombo
Crediativos
Credsystem
Digio
Hoepers
Itapeva
Itaú
MGW
Pernambucanas
Ponto Frio
Recovery
Renner
Riachuelo
Tribanco
Vivo
Zema

Fonte: https://g1.globo.com/economia

Comentários
Continue lendo

Economia

Receita libera nesta quarta-feira consultas ao 2º lote de restituição

Restituição será paga no dia 30 de junho a 4,2 milhões de pessoas. Lote abrange contribuintes prioritários e pessoas que entregaram declaração até 21 de março.

Publicado

em

Foto: Reprodução

A Receita Federal libera nesta quarta (23), a partir das 10h, as consultas ao segundo lote de restituição do Imposto de Renda 2021, relativo ao ano-base 2020.

Assim que abertas, as consultas poderão ser feitas:

. na página da Receita na internet;
. no aplicativo da Receita para tablets e smartphones.

A restituição será paga no dia 30 de junho. O pagamento é feito diretamente na conta bancária informada na declaração do IR.

Segundo a Receita, 4,2 milhões de contribuintes receberão a restituição no segundo lote. O valor total a ser pago é de R$ 6 bilhões.

Foram contemplados no segundo lote:

. idosos acima de 80 anos (97.082 pessoas);
. contribuintes entre 60 e 79 anos (779.763);
. contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave (54.240);
. contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério (385.591);
. contribuintes não prioritários que entregaram a declaração até 21 de março (2.906.310).

O lote também contempla restituições residuais de anos anteriores.

O primeiro lote foi pago em 31 de maio. Ao todo, foram creditados R$ 6 bilhões a 3,4 milhões de contribuintes.

Malha fina
Caso o contribuinte identifique alguma pendência na declaração, é possível retificar a declaração, corrigindo as informações que estejam equivocadas.

As restituições de declarações que apresentam inconsistência (em situação de malha) são liberadas apenas depois de corrigidas pelo cidadão, ou após o contribuinte apresentar comprovação de que sua declaração está correta.

Calendário
Confira, abaixo, o calendário completo de pagamento das restituições do IR 2021:

1º lote: 31 de maio (já pago);
2º lote: 30 de junho;
3º lote: 30 de julho;
4º lote: 31 de agosto;
5º lote: 30 de setembro.

Fonte: https://g1.globo.com/economia

Comentários
Continue lendo

Mais Lidas