Conecte-se Conosco

Economia

Aneel aciona bandeira amarela para janeiro

Os consumidores vão continuar pagando um adicional, mas o valor será inferior ao vigente em dezembro.

Publicado

em

Foto: Thinkstock

As contas de luz ficarão mais baratas em janeiro de 2021. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta quarta-feira, 23, que acionará bandeira amarela no próximo mês, com custo adicional de R$ 1,343 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.Os consumidores vão continuar pagando um adicional, mas o valor será inferior ao vigente em dezembro.

Neste mês foi acionada bandeira vermelha 2, patamar mais alto do sistema, com cobrança de R$ 6,243 a cada 100 kWh.Segundo a agência reguladora, a previsão hidrológica para o mês que vem sinaliza elevação no nível dos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN), o que possibilita o aumento na produção de energia nas usinas hidrelétricas.

“A previsão hidrológica para janeiro do ano que vem sinaliza elevação das vazões afluentes aos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional, cenário que levou ao incremento no patamar da produção hidrelétrica, com a consequente redução nos custos relacionados ao risco hidrológico (GSF), e no preço da energia (PLD) em relação ao mês passado”, diz a nota. A agência, no entanto, reforça ações relacionadas ao uso consciente e ao combate ao desperdício de energia.

Bandeiras tarifárias
As bandeiras tarifárias foram criadas em 2015 para sinalizar ao consumidor o custo da geração de energia elétrica no País. Na prática, as cores e modalidades – verde, amarela ou vermelha – indicam se haverá ou não cobrança extra nas contas de luz.Neste ano, o sistema voltou a vigorar em 1º de dezembro.

O mecanismo havia sido suspenso em maio por conta da pandemia do novo coronavírus, mas as condições atuais de geração não permitiram manter as contas sem cobrança adicional. No sistema atual, na cor verde, não há cobrança de taxa extra, indicando condições favoráveis de geração de energia no País. Na bandeira amarela, a taxa extra é de R$ 1,343 a cada 100 kWh consumidos. Já a bandeira vermelha pode ser acionada em dois níveis, dependendo da quantidade de termelétricas acionadas. No primeiro nível, o adicional é de R$ 4,169 a cada 100 kWh. No segundo nível, a cobrança extra é de R$ 6,243 a cada 100 kWh.

Fonte: https://epocanegocios.globo.com/

Comentários

Economia

Agepar prorroga suspensão do reajuste da Rodonorte por 60 dias

Inicialmente, o Conselho Diretor da Agepar suspendeu, cautelarmente por 60 dias, o reajuste das tarifas da Rodonorte em 26 de novembro de 2020.

Publicado

em

Fotos: Geraldo Bubniak/ANPr e Rodrigo Morosini

O Conselho Diretor da Agepar (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná) aprovou nesta terça-feira (26) a prorrogação da suspensão, por mais 60 dias, do reajuste das tarifas de pedágio cobradas nas praças da concessionária Rodonorte.

Inicialmente, o Conselho suspendeu, cautelarmente por 60 dias, o reajuste das tarifas da Rodonorte em 26 de novembro de 2020. À época, a decisão fazia parte de uma análise sobre cálculos na aplicação de degraus tarifários e índices de depreciação de investimentos e afetou o reajuste anual previsto em contrato para o mês de dezembro.

A concessionária tentou, no fim de dezembro, conseguir o reajuste na Justiça Federal, mas teve seu pedido negado. Sem fatos novos, o Conselho aprovou a prorrogação da suspensão para que ocorra prazo suficiente para instrução até o julgamento do mérito. Como na reunião virtual de novembro, houve a oportunidade para sustentação oral da defesa da concessionária, que optou por não se manifestar.

Fonte: http://www.aen.pr.gov.br/

Comentários
Continue lendo

Economia

Vencimento do IPVA no Paraná começa nesta segunda (25); confira as datas

Contribuinte que pagar em cota única tem desconto de 3%. Boletos devem ser impressos pelos proprietários dos veículos.

Publicado

em

Foto: José Fernando Ogura/Divulgação/Aen e Reprodução Sefa

O vencimento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) no Paraná começou nesta segunda-feira (25). Veja o cronograma mais abaixo.

Os contribuintes do estado ganharam uma semana, após a Receita Estadual do Paraná adiar os prazos por causa de instabilidade no site da Secretaria da Fazenda (Sefa).

O boleto para pagamento do IPVA não é enviado para a casa dos proprietários de veículos. É necessário entrar no site da Sefa e imprimir o documento. Entenda o passo a passo mais abaixo.

Emissão do boleto
Como já aconteceu em 2020, o boleto não será enviado para casa das pessoas. Para efetuar o pagamento, é preciso emitir a guia pelo site da Sefa.

No site, é preciso acessar a opção “Consultar Débitos do IPVA” na aba de Serviços.

Para acessar o boleto, é preciso ter em mãos o número do Renavam, que consta no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV).

Segundo o governo estadual, é possível pagar o imposto também diretamente nos caixas ou canais de atendimento no Banco do Brasil, Itaú, Santander, Bradesco, Sicredi, Banco Rendimento e Bancoop.

Parcelado
Neste ano, por causa das dificuldades financeiras causadas pela pandemia do novo coronavírus, a Sefa informou que será possível parcelar em até cinco vezes o IPVA.

Nos anos anteriores, era possível parcelar em até três vezes.

Neste caso, o calendário de pagamento vai até maio.

Fonte: https://g1.globo.com/pr

Comentários
Continue lendo

Economia

Governo anuncia mudança na norma da pesagem para reduzir custos do caminhoneiro

O governo federal decidiu revisar a norma e vai utilizar uma nova metodologia.

Publicado

em

Foto: Reprodução

Caminhoneiro vai pagar menos na pesagem. O governo federal decidiu revisar a norma e vai utilizar uma nova metodologia.

De acordo com Agência Brasil, uma das mudanças é a substituição do cálculo de peso por eixo por peso bruto, que já vale para algumas categorias.

Também será ampliada a tolerância do peso de cargas. As medidas tem o objetivo de baratear os custos do transporte rodoviário de carga.

Em live nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro disse que a nova norma será publicada em breve e deverá onerar menos o caminhoneiro.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, disse que a revisão está quase finalizada e lembrou que o governo federal eliminou a tarifa de importação de pneus para o transporte de cargas.

Freitas informou ainda que será lançado o documento de transporte eletrônico para os caminhoneiros.

A ideia é reunir em um único documento, os cerca de 15 a 20 que são exigidos pela legislação para motoristas de carga.

Fonte: www.radio2.com.br

Comentários
Continue lendo

Mais Lidas