Conecte-se Conosco

Economia

ACE Ourinhos estranha rebaixamento para fase vermelha e começa a temer onda de demissões em massa

“O que foi feito de errado em nossa região para sermos a única do Estado a cair para a faixa vermelha?”, indaga o presidente da ACE, Robson Martuchi.

Publicado

em

Foto: Reprodução

No terceiro dia de lockdown decretado pelo prefeito Lucas Pocay em Ourinhos, referendado pelo governador João Dória que agora também rebaixou toda a região de Marília para a faixa vermelha, segue a polêmica que divide opiniões sobre a assertividade ou não das ações dos governantes. “Estamos pagando o preço do período eleitoral, quando se fez vistas grossas para aglomerações e com baixa fiscalização, somado ao final do ano, em que parecia que a Covid já tinha ido embora”, ponderou o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ourinhos, Robson Martuchi.

Segundo ele, causou estranhamento somente a região de Marília ter sido rebaixada para a faixa vermelha do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena contra a Covid-19. “Vejo a população sendo acusada e o comércio sendo penitenciado com medidas duras, mas o que parece é que houve falta de planejamento, faltou fazer a lição de casa para não entrarmos com medidas agudas como essa do fechamento do comércio”, avaliou Martuchi.

O presidente da ACE fez questão de não envolver a entidade nas carreatas realizadas na cidade em protesto à decisão do prefeito de mandar fechar o comércio. “Precisamos ser práticos e objetivos, esse não é o caminho, embora respeite todas as manifestações populares, sobretudo dos empresários que estão desesperados com a situação”, disse. No entanto, em nome da ACE, Robson Martuchi está entrando com pedidos aos ministérios públicos federal e estadual reivindicando uma cadeira no comitê municipal gestor que está respaldando as decisões da prefeitura. “No mínimo precisamos ser ouvidos”, reivindicou o presidente da ACE.

Robson Martuchi revela que com a perspectiva do lockdown permanecer por mais tempo, tem recebido dezena de apelos dos empresários, os quais alertam para a necessidade de demissões caso a situação perdure por mais de 15 dias. “No ano passado o baque já foi duro demais com todos, mas tivemos o apoio do Governo Federal que criou alternativas para que parte das empresas se mantivesse ativa. Agora, com o fim da ajuda federal e das leis do ano passado, tememos o caos com a falta de emprego, renda e comida na mesa”, alertou.

Fonte: LikeUp marketing

Comentários

Economia

Petrobras vende campos de exploração na Bahia por US$ 220 milhões

Polo Miranga, localizado no estado, produziu 899 barris de óleo por dia em 2020.

Publicado

em

Foto: Getúlio Moura/Petrobras/Divulgação

A Petrobras vendeu para a SPE Miranga S.A., subsidiária da PetroRecôncavo S.A., nove campos terrestres de exploração e produção denominados Polo Miranga, localizados na Bahia. A assinatura do contrato foi feita na quarta-feira (24).

De acordo com a estatal, o valor de venda foi de US$ 220,1 milhões. O valor não considera os ajustes devidos até o fechamento da transação, que está sujeito ao cumprimento de condições precedentes, tais como a aprovação pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O Polo Miranga compreende os campos terrestres de Miranga, Fazenda Onça, Riacho São Pedro, Jacuípe, Rio Pipiri, Biriba, Miranga Norte, Apraiús e Sussuarana, localizados na Bahia. A Petrobras é operadora com 100% de participação nessas concessões.

A produção média do Polo Miranga de 2020 foi de aproximadamente 899 barris de óleo por dia e 376,8 mil m³/dia de gás natural.

A Petrorecôncavo é uma empresa brasileira de óleo e gás com atuação na revitalização e aumento no fator de recuperação de campos maduros onshore.

A empresa adquiriu a participação da Petrobras no Polo Riacho da Forquilha em 2019. Em 2020, adquiriu novo bloco exploratório na Bacia Potiguar, e assinou contrato de compra e venda referente à participação da Petrobras no Polo Remanso.

Troca de comando
Em teleconferência realizada na manhã desta quinta-feira (25), o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, comentou os últimos resultados da estatal.

Ele se prepara para deixar a companhia em 20 de março com a decisão do presidente Jair Bolsonaro de indicar o general Joaquim Silva e Luna para o comando da companhia, anunciada na sexta-feira (19).

Na transmissão, ele disse que vai trabalhar normalmente até o último dia que ficará no cargo, inclusive no que diz respeito a paridade nos preços de importação

O executivo passou a ser criticado por Bolsonaro por promover sucessivos aumentos no preço dos combustíveis para evitar uma defasagem com a cotação praticada no mercado internacional.

Fonte: https://g1.globo.com/ba

Comentários
Continue lendo

Economia

PIS-Pasep 2020-2021: pagamento do abono salarial é antecipado para fevereiro

Quem nasceu nos meses de março a junho ou tem número final de inscrição entre 6 e 9 receberá o benefício no dia 11 de fevereiro.

Publicado

em

Fotos: Reprodução e Caixa/Divulgação

O calendário de pagamentos dos últimos lotes do abono salarial PIS-Pasep 2020-2021 será antecipado para fevereiro, de acordo com nova resolução publicada nesta sexta-feira (5) no Diário Oficial da União.

Com a mudança, os recursos estarão disponíveis no dia 11 de fevereiro para trabalhadores nascidos entre março a junho ou com número final de inscrição entre 6 e 9.

Pelo calendário anterior, os nascidos em maio e junho ou com número final de inscrição 8 e 9 receberiam apenas em 17 de março.

O valor do abono varia de R$ 92 a R$ 1.100, dependendo do período trabalhado formalmente em 2019. Quem nasceu nos meses de julho a fevereiro ou tem número final de inscrição entre 0 e 5 começaram a receber o benefício ainda no ano de 2020.

Novo calendário de pagamento do PIS

Para os trabalhadores que não são correntistas da Caixa, o dinheiro é depositado em poupança social digital, que pode ser movimentada pelo aplicativo Caixa Tem.

De acordo com a nova resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), os trabalhadores que forem correntistas da Caixa, receberão o crédito do PIS em conta a partir de 9 de fevereiro. No caso do Pasep, os servidores que forem correntistas do Banco do Brasil receberão o depósito em conta também a partir de 9 de fevereiro.

Como informou o Blog do Valdo Cruz, o governo decidiu antecipar os pagamentos do abono salarial diante do aumento no número de casos de Covid-19 neste início de ano.

Novo calendário de pagamento do Pasep

O PIS é destinado aos trabalhadores do setor privado e é pago na Caixa Econômica Federal. Já o Pasep é pago para servidores públicos por meio do Banco do Brasil. O calendário de recebimento leva em consideração o mês de nascimento, para trabalhadores da iniciativa privada, e o número final da inscrição, para servidores públicos.

Os recurso ficarão à disposição dos trabalhadores até 30 de junho de 2021, prazo final para o recebimento. A Caixa prevê disponibilizar cerca de R$ 15,8 bilhões para mais de 20,5 milhões de beneficiários do PIS até o final do calendário do exercício 2020/2021.

Qual o valor e quem tem direito?
Com o aumento do salário mínimo em janeiro, o valor do abono salarial varia de R$ 92 a R$ 1.100, de acordo com a quantidade de meses trabalhados durante o ano-base 2019. Só receberá o valor total quem trabalhou os 12 meses de 2019.

Tem direito ao abono salarial quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais com carteira assinada e exerceu atividade remunerada durante, pelo menos, 30 dias em 2019. É preciso ainda estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Para saber se tem direito e como sacar
Para sacar o abono do PIS, o trabalhador que possuir Cartão do Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir aos terminais de autoatendimento da Caixa ou a uma casa lotérica. Se não tiver o Cartão do Cidadão, pode receber o valor em qualquer agência da Caixa, mediante apresentação de documento de identificação.

Informações sobre o PIS também podem ser obtidas pelo telefone 0800-726-02-07 da Caixa. O trabalhador pode fazer uma consulta ainda no site www.caixa.gov.br/PIS, em Consultar Pagamento. Para isso, é preciso ter o número do NIS (PIS/Pasep) em mãos.

Os servidores públicos que têm direito ao Pasep precisam verificar se houve depósito em conta. Caso isso não tenha ocorrido, precisam procurar uma agência do Banco do Brasil e apresentar um documento de identificação. Mais informações sobre o Pasep podem ser obtidas pelo telefone 0800-729 00 01, do Banco do Brasil.

Fonte: https://g1.globo.com/economia

Comentários
Continue lendo

Economia

Representante do Comércio enaltece postura e esforço do Comitê Gestor Covid-19 de Ourinhos

Robson Martuchi analisa que bom senso tem imperado nas decisões e colaborado para a cidade enfrentar com estratégia os danos da Covid-19.

Publicado

em

Foto: Reprodução

A Associação Comercial e Empresarial de Ourinhos (ACE), através de seu presidente, Robson Martuchi, manifestou hoje seu agradecimento aos órgãos e lideranças que compõem o Comitê Gestor Covid-19, liderados pela Prefeitura Municipal. Segundo o dirigente empresarial, as decisões têm sido ponderadas e assertivas. “Precisamos ter consciência de que todo esse quadro não vai se reverter tão cedo, por isso o melhor caminho é aprendermos a lidar com o problema e seguirmos nossa vida, com responsabilidade e estratégia coletiva”, ponderou o presidente da ACE. “Dou meus parabéns pelo empenho e coragem demonstrados até aqui, tanto pelos membro do comitê quanto para o prefeito Lucas Pocay”, afirmou Martuchi.

O Comitê também liberou nesta semana a abertura para outros segmentos, como restaurantes, salões de beleza, academias, entre outros. Escolas particulares devem retornar com aulas presenciais em fevereiro e escolas municipais em primeiro de março. “Aos poucos vamos equilibrando a nossa economia, com cuidados e responsabilidade de todos, sem prejuízo da nossa saúde”, disse Martuchi.

O presidente da ACE conclamou, inclusive, todos os segmentos, para que se irmanem nessa corrente de proteção à saúde coletiva e da atividade econômica. “Todos temos que ser fiscais, de nós mesmos e de nossos vizinhos, dos nossos fornecedores, só assim poderemos nos ajudar mutuamente, garantindo segurança sanitária e avanço na atividade econômica e geração de emprego e renda”, avaliou.

Com a aproximação da volta às aulas presenciais, Robson Martuchi chama a atenção agora para o setor do comércio que fornece material escolar. Para ele, neste momento esse segmento deve ser também considerado essencial, pois com horário reduzido haverá aglomeração de consumidores em busca desses produtos. “A Associação Comercial se coloca à disposição para mediar essas questões pontuais, de forma a irmos regulando a flexibilização conforme as demandas. Isso vale para material escolar mas também para outras atividades do comércio e prestação de serviços, como academias, salões de beleza, entre outras”, finalizou.

Fonte: LikeUp Marketing

Comentários
Continue lendo

Mais Lidas