Conecte-se Conosco

Mundo

06 de junho de 1944. Invasão da Normandia completa hoje 76 anos

A Batalha da Normandia, cujo nome de código era Operação Overlord, ficou conhecida historicamente como Dia D

Publicado

em

Fotos: Robert F. Sargent, Reprodução e Divulgação

A Batalha da Normandia, cujo nome de código era Operação Overlord, e conhecida historicamente como Dia D, foi a invasão das forças dos Estados Unidos, Reino Unido, França Livre e aliados na França ocupada pelos alemães na Segunda Guerra Mundial em 1944. Foi uma decisão política para manter a liberdade na Europa, ocorrida depois da derrota alemã para o Exército Vermelho, na famosa Batalha de Stalingrado. Setenta e três anos mais tarde, a invasão da Normandia continua sendo a maior invasão marítima da história, com quase três milhões de soldados a terem cruzado o Canal da Mancha, partindo de vários portos e campos de aviação na Inglaterra, com destino à Normandia, na França ocupada.

Os primeiros planos da invasão aliada a França começaram a ser discutidos num encontro de Winston Churchill com o presidente norte-americano Franklin D. Roosevelt em Casablanca, em Janeiro de 1943.

Em Dezembro de 1943, o general norte-americano Dwight Eisenhower(foto abaixo) é nomeado comandante supremo da Força Expedicionária Aliada.

A invasão da Normandia começou com a chegada de paraquedistas na noite anterior, e com maciços bombardeios aéreos e navais, bem como com um assalto anfíbio bem cedo, na parte da manhã. Os exércitos, divididos com suas tarefas, tinham, como objetivo, as praias de codinome Omaha e Utah para os americanos; e Juno, Gold e Sword para os anglo-canadenses. Do mar, 1 240 navios de guerra abriram as baterias contra as linhas de defesa. Do céu, caíam toneladas de bombas dos dez mil aviões que participavam da operação.

Naquela data, 155 mil homens dos exércitos dos Estados Unidos, Grã-Bretanha e Canadá lançaram-se nas praias da Normandia(foto principal), região francesa situada nas costas do Canal da Mancha, dando início à liberação da Europa.

A vitória definitiva começou neste dia, o famoso Dia D. A França estava ocupada pelos nazistas desde 1940 e a invasão da Normandia visava à liberação do território francês do domínio alemão, feito que somente foi alcançado definitivamente no dia 25 de agosto daquele ano.

Filme épico
Cinematograficamente, a invasão da Normandia pode ser vista na abertura do filme “O Resgate do Soldado Ryan” de 1998, dirigido por Steven Spielberg e estrelado por Tom Hanks, Matt Damon, Vin Diesel, Tom Sizemore e Edward Burns. (foto abaixo)

Comentários

Mundo

Russa é mantida presa em casa por 26 anos pela mãe para ‘protegê-la do mundo’

A russa estava enclausurada desde os 16 anos em uma casa sem eletricidade e água corrente. Ela contou à polícia que o seu último banho havia sido em 2006.

Publicado

em

Fotos: Reprodução

Uma mulher de 42 anos foi mantida por 26 anos presa pela mãe em uma pequena casa no vilarejo de Arefinsky (Rússia) a fim de “protegê-la dos perigos do mundo lá fora”.

O caso só foi descoberto quando a aposentada Tatyana, a mãe de Nadezhda Bushueva, precisou ser hospitalizada. A russa estava enclausurada desde os 16 anos em uma casa sem eletricidade e água corrente.

Em mais de duas décadas e meia, Nadezhda só se alimentava de ração para gatos. Ela contou à polícia que o seu último banho havia sido em 2006.

Na delegacia, Nadezhda contou que a casa era infestada de ratos e que ela e a mãe dormiam na mesma cama.

Na residência também havia vários gatos. Quando eles morriam, os corpos não eram retirados e se decompunham no mesmo local.

“Minha vida é pior que a vida de um gato. Gatos têm mais direitos do que eu. Eu não existo mais, sou um zumbi. Preciso de documentos, preciso de trabalho”, disse Nadezhda, segundo o “Sun”.

O caso viralizou nas redes sociais russas.

“Ela tem um rosto bonito, sinto muito por ela”, comentou uma internauta.

“Aos 42 ela ainda parece jovem diante das condições”, disse outra.

De acordo com a mídia local, a russa “não tem ideia de como as coisas funcionam no mundo”. Nadezhda disse ter “ficado acostumada” com a situação e que, por isso, acabou não tentando fugir.

Não há informações sobre o que levou Tatyana a ser internada. Suspeita-se de derrame. A filha foi encaminhada a assistentes sociais.

Fonte: https://extra.globo.com

Comentários
Continue lendo

Mundo

Tremor de magnitude 7,4 atinge o sul do México, nesta terça-feira (23)

Abalo foi sentido no centro da capital, a Cidade do México, que está a centenas de quilômetros de distância do epicentro.

Publicado

em

Foto: Tomas Bravo/Reuters

Um terremoto de magnitude 7,4 atingiu o sul do México nesta terça-feira (23), de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS). De acordo com a agência Reuters, o abalo foi sentido no centro da capital, a Cidade do México, que está a centenas de quilômetros de distância do epicentro.

Centenas de pessoas que estavam em prédios e casas correram para as ruas.

O epicentro foi registrado a 26,3 km de profundidade e a 12 km a sudoeste de Santa María Zapotitlán.

Inicialmente, o USGS tinha informado 7,7. Tremores dessa magnitude podem provocar estragos, mas até o momento não houve relato de danos ou vítimas, segundo testemunhas ouvidas pela Reuters.

Já o instituto sismológico do México disse que um terremoto de magnitude 7,1 atingiu o Estado de Oaxaca, no sul do país.

A empresa SkyAlert, que tem rede própria de sensores, afirma que há possibilidade de tsunami, e recomenda que as pessoas não fiquem próximas à costa nas regiões de Oaxaca –onde há praias frequentadas por turistas– e Chiapas.

O presidente Andres Manuel Lopez Obrador disse que não há relatórios sobre danos, mas afirmou que ele ainda aguarda informações de Oaxaca, onde há montanhas, plantações de café, resorts de praia e prédios de arquitetura colonial espanhola.

Alberto Ibanez, um fotógrafo em Oaxaca, disse à Reuters que o terremoto deixou uma rachadura em seu apartamento e derrubou livros e vasos de sua casa.

Fonte: https://g1.globo.com/mundo

Comentários
Continue lendo

Mundo

Ataque com faca mata três pessoas e deixa feridos na Inglaterra; homem é preso

Homem de 25 anos foi preso. A polícia antiterrorismo está participando das investigações.

Publicado

em

Fotos: Steve Parsons/PA via AP

Três pessoas morreram e sete ficaram feridas após serem esfaqueadas na noite deste sábado (20) em um parque na cidade de Reading, no sul da Inglaterra. A polícia britânica confirmou o “incidente grave” no Parque Forbury Gardens. Um homem de 25 anos foi preso, e o caso é investigado como atentado terrorista.

Durante a manhã, o parque reuniu manifestantes do protesto antirracista do movimento “Black Lives Matter” (Vidas negras importam). Segundo a polícia, “não há indício de que o incidente esteja relacionado ao protesto ‘Black Lives Matter’ que ocorreu hoje em Reading”.

Testemunhas contaram que um homem chegou esfaqueando pessoas que estavam sentadas na grama do parque.

A autoridade policial pediu para as pessoas ficarem longe da área. A cidade fica a cerca de 1 hora de Londres, capital do país.

“Estamos cientes dos relatos de um incidente no [Parque] Forbury Gardens, em Reading. Policiais estão no local e investigam o incidente. A polícia compareceu por volta das 19h, juntamente com outros serviços de emergência. Os policiais prenderam um homem no local que agora está sob custódia da polícia.”

Nas redes sociais circulam vídeos que supostamente mostram ao menos quatro pessoas esfaqueadas no chão do Parque Forbury Gardens, em Reading, na Inglaterra.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, escreveu que os pensamentos dele “estão com todos os afetados pelo terrível incidente em Reading” e agradeceu “aos serviços de emergência”.

Fonte: https://g1.globo.com/mundo

Comentários
Continue lendo

Destaque